"Vou passar pela vida só uma vez: por isso, qualquer coisa boa que eu possa fazer ou, alguma amabilidade a algum ser humano, devo fazer agora, porque não passarei de novo por aqui." (Md.Tereza de Calcutá)

Seguidores

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Mais uns passinhos e chegarei....as deixo com Federico G.Lorca

Minhas amigas estou sem poder fazer postagens com fotos então hoje me ocorreu que eu poderia falar de um poeta espanhol que admiro muito e um dia meu marido me presenteou com um livro de suas obras completas e o tenho diante de mim e enquanto escolho um poema pra vocês deixo aqui a opinião de um amigo de FEDERICO GARCIA LORCA:
"Quando Lorca falava, recitava, interpretava curtos ensaios dramáticos ou cantava, acompanhando-se ao piano, criava-se em torno dele uma atmosfera mágica a que nenhum auditório podia resistir" (Rafael Alberti)

Canción de jinete

Córdoba.
Lejana y sóla.

Jaca negra, luna grande
y aceitunas en mi alforje
Aunque sepa los caminos
yo nunca llegaré a Córdoba

Por el llano, por el viento,
jaca negra, luna roja
La muerte me está mirando
desde las torres de Córdoba.

!Ay qué camino tan largo!
!Ay mi jaca valerosa!
!Ay que la muerte me espera,
Antes de llegar a Córdoba!

Córdoba
Lejana y sola.
Lorca foi assassinado numa madrugada de ago/1936(Granada), nunca se soube onde está seu corpo enterrado, era a guerra civil e muitos desapareciam, junto a ele foi fuzilado um professor (El cojo) e há um filme chamado "La lengua de la Maripoza" que retrata esse momento na Espanha (a terra de meus avós), Lorca foi morto a 18 km do povoado onde meu avo materno nasceu.

Amanhã trarei comigo Vinicius de Moraes.

Um comentário:

Maria... disse...

Mirian,
Lindo o poema. Amanhã venho ler Vinicius. Volte logo tá amiga.
bj